23 de fev de 2017

Coisas mortais criadas pela moda

Os primeiros viajantes ocidentais frequentemente observavam a ausência de mudança na moda no oriente. Para se ter uma ideia, as vestimentas japonesas já foram as mesmas por mais de mil anos. Alterações na moda muitas vezes aconteciam seguindo os tempos de mudanças econômicas ou sociais, como ocorreu na Roma antiga e medieval do Califado.
O ritmo das mudanças acelerou-se consideravelmente nos últimos séculos tanto para mulheres quanto para homens. Inicialmente, as mudanças na moda alcançavam somente as classes mais altas da Europa. Embora a moda geralmente acompanhasse os ricos, a crescente afluência da Europa moderna levou à burguesia e até mesmo camponeses a seguirem tendências da moda.
Entretanto, nem tudo que era lançado podia ser considerado de bom gosto ou seguro de se usar. O      a seguir, 5 das tendências da moda que era um verdadeiro perigo para a sociedade. Confira:

A crinolina

Coisas mortais criadas pela moda
A crinolina é uma saia feita com aros de metal que as mulheres usavam no século 19 debaixo das saias reais. A peça era feita de crina ou de aço e o propósito do aparelho era fazer com que a saia ficasse uniforme. A crinolina de aço era realmente mortal. Devido ao seu design, as mulheres ficavam bastante suscetíveis a rajadas de vento. Há contos de mulheres que foram arrastadas e levadas para o mar, onde elas prontamente se afogaram devido a ‘gaiola de aço’ amarrada à cintura.
As saias se prendiam nos raios de carruagens e faziam com que mulheres fossem arrastadas gritando pela rua. Em seguida, houve os perigos menos óbvios, como derrubar velas. Se a saia pegasse fogo, até que ela pudesse ser retirada, algo trágico já teria acontecido. Em 1863, em Santiago, Chile, entre 2000 e 3000 pessoas morreram em um incêndio numa igreja.
Quando uma lâmpada de gás incendiou os véus nas paredes, as pessoas tentaram correr para fora, mas a largura das saias das mulheres bloqueou a porta e fez com que as pessoas morressem queimadas.

O espartilho

Coisas mortais criadas pela moda
O espartilho simplesmente podia cortar, bastante, a circulação entre as pernas e a cabeça das mulheres. A rainha da Noruega era famosa por sua cintura muito pequena e muitos de seus vestidos ainda são expostas para que todos possam ver a sua beleza e esquisitice.
O ato de vestir um espartilho não chegou a se tornar verdadeiramente perigoso até que as pessoas começaram a lacear as peças ao ponto que suas entranhas ficavam espremidas como um tubo de pasta de dente. Não é novidade que o objeto não ajuda as pessoas a respirar muito bem. Com o seu fígado em sua garganta e seus pulmões em suas barrigas, as mulheres vitorianas inventaram “os seios arfando.” O simples ato de respirar pode quebrar uma costela (uma lesão grave nos dias antes da anestesia) e causar hemorragia interna.

Pés de lótus

Coisas mortais criadas pela moda
“Pés de lótus”, era um costume das mulheres na China por volta do século 8 até o início da década de 1900. Tudo começou com uma concubina dançando na frente do imperador com seda envolvida em torno de seus pés o que acabou fazendo com que os pés das mulheres ficassem tão desfigurados que só podia caminhar distâncias muito curtas.
Todos os seus dedos dos pés, exceto o dedão eram dobrados para baixo e o arco do pé dobrada para trás. O processo era feito durante anos com ataduras cada vez mais apertadas e escalda-pés recorrentemente repugnantes, até que os pés ficassem pequenos e deformados. Essa prática cortava a circulação nos dedos dos pés e o procedimento muitas vezes levava a gangrena ou outras infecções potencialmente fatais. Uma mulher com pés de tamanho normal era considerado feio e, “não casável”.

Fontange

Coisas mortais criadas pela moda
Na Inglaterra, o estilo era popularmente conhecido como um “topete”. Existiam diversas versões que foram usados ​​por senhoras de todas as categorias, desde a rainha até empregadas e cozinheiras. O fontange foi nomeado em homenagem  a Marquise de fontange, uma amante do rei Luís XIV da França.
O que começou como uma simples touca de fita dobrada na década de 1680 tornou-se, com adicional de tecido, rendas e passamanarias, mais alto, mais complexo e cada vez mais difícil de criar e usar. O perigo do penteado era que ele era apoiado por uma estrutura de arame chamado de “pallisade”, que causava acidentes.

Maquiagem de chumbo

Coisas mortais criadas pela moda
Nem precisamos explicar muito por qual motivo isso era uma péssima ideia. O chumbo é extremamente tóxico para os seres humanos. Antes da era das grandes marcas de cosméticos; as pessoas maquiavam todo o seu rosto com chumbo. É isso mesmo, chumbo. A escolha da composição veio da Grécia antiga e o chumbo foi usado até a década de 20.

Fonte: Ultra Curioso

22 de fev de 2017

Conheça 4 países que não estão no mapa

O mapa mundi também é conhecido como planisfério, e representa todo o globo terrestre com seus respectivos países e continentes. Quanto a origem do nome, mm latim, “mappa” designava, primeiramente, lenço e, posteriormente, a representação gráfica de um terreno. “Mappa mundi” era, então, a representação gráfica do mundo.
Usa-se muito o mapa mundi em pesquisas e referências geográficas, pois ele retrata fielmente os países e suas localizações, certo? Errado. Os modelos mais populares de mapa mundi são a Projeção e Mollweide e a Projeção de Robinson. Mas aparentemente, ou eles não gostavam nada de quatro países em específico ou tiveram um grande descuido, pois exatamente quatro nações foram excluídas dos registros.
Agora, conheça 4 países que estão fora do mapa mundi, e sendo assim, não existem nos registros oficiais geográficos.

1. Reino de Talossa

Conheça 4 países que não estão no mapa
O Reino da Talossa foi fundado em 1979 por Robert Ben Madison. A nação possui seu próprio idioma (o talossan), sua própria moeda (a Talossan Louis), Primeiro Ministro e suas leis próprias.
O Reino de Talossa tem cerca de 300 habitantes.

2. Principado de Seborga

Conheça 4 países que não estão no mapa
O Principado de Seborga é um país que está localizado no norte da Itália, em Ligúria. Possue apenas 4km².
Foi fundado em 1963, e surgiu por uma falha jurídica. Giorgio I, que se autoproclamou príncipe de Saborga, afirma que a região não está na criação da República Italiana em 1946, nem na Unificação da Itália em 1861, por Giuseppe Garibaldi. Então, por Giorgio I, as terras não tinham dono.
Durante a década de 90, o Principado de Seborga adotou uma moeda própria (Luigino) por alguns anos, mas depois começou a usar o Euro.

3. Celestia

Conheça 4 países que não estão no mapa
A nação de Celestia foi fundada em 1949 por James Thomas Mangan, a “Nação do Espaço Celestial” ocupa toda a área do Espaço Sideral. Isso mesmo que você leu.
Possuia 19 mil membros que se dizia habitantes deste país, tendo uma moeda própria, a Gold Celeston. Celestia chegou a protocolar nos EUA, URSS e Reino Unido a suspensão de testes militares atmosféricos e disparos de foguetes, alegando invasão de terras.
Depois da morte de Manga, o país sumiu e nenhum herdeiro ou cidadão quis os direitos do espaço sideral.

4. Sealand

Conheça 4 países que não estão no mapa
Com menos de 50 habitantes, este país, o Sealand, nem chegou a ser reconhecido pela ONU.
Em 1966, quando Paddy Roy Bates decidiu fundar uma rádio pirata, o governo inglês o perseguiu. Para fugir, Bates se mudou para uma antiga plataforma militar inglesa, porém foi desalojado. Outra vez, Bates rumou para outra plataforma abandonada, mas desta vez ela era internacional. Tentaram expulsar, mas não conseguiram, pois a justiça do país deu ganho para Paddy.
Após a vitória nos tribunais, Paddy decidiu fundar seu próprio país dentro da base. O atual monarca é Michel Bates, filho do Rei Paddy Bates que faleceu em 2012, aos 91 anos.

Fonte: Ultra Curioso

21 de fev de 2017

As 5 cidades fantasmas mais incríveis do mundo

Cidades fantasmas são aquelas conhecidas como locais urbanos (antes normais e movimentados) que foram totalmente abandonados, restando apenas ruínas e casas vazias e alguns vestígios de que vida humana já existiu ali. Muitas histórias são contadas sobre essas cidades fantasmas, e o porquê de se transforarem em ‘esqueletos de províncias’, uma mais intrigante do que a outra.
Ao redor do mundo existem dezenas de cidades fantasmas, e os países que foram cenários de guerras são os principais donos desses lugares peculiares. Uma vez abandonadas, as cidades simplesmente se tornam atrações turísticas.
Conheça agora as 5 cidades fantasmas mais incríveis do mundo. Você aceitaria morar em alguma delas?

1. Gunkanshima (Japão)


As 5 cidades fantasmas mais incríveis do mundo
Gunkanshima significa “encouraçado”, e é uma ilha japonesa onde se encontra uma cidade que se transformou em ‘fantasma’. Durante a 2ª Guerra Mundial, ela foi bombardeada por aviões americanos. Hoje as ruas e as construções estão completamente desertas. Desde 1974, quando a Mitsubishi, que em 1890 havia assumido a propriedade da ilha, decidiu acompanhar as tendências do setor energético e pôs fim às explorações das jazidas de carvão mineral no local. Com isso, os 2 mil habitantes que ocupavam o lugar resolveram abandoná-lo, dando origem à cidade-fantasma que o governo japonês ainda tenta transformar em atração turística.

2. Epecuén (Argentina)

As 5 cidades fantasmas mais incríveis do mundo
A 550 km de Buenos Aires, capital argentina, Epecuén possuía cerca de 1 500 habitantes e recebia 20 mil turistas a cada temporada e era famosa por estar localizada à beira de um lago cuja salinidade era 10 vezes maior que a do mar. Entretanto, uma sequência de tempestades, aliada a seguidos invernos rigorosos, fez com que o local fosse alvo de uma inundação em 1985. Os moradores fugiram dali. Atualmente, a água secou, mas o cenário, composto por ruínas e carros enferrujados ainda chama muito o interesse das pessoas em geral.

3. Pripyat  (Ucrânia)

As 5 cidades fantasmas mais incríveis do mundo
Em 1986, Pripyat foi construída pelo governo soviético para abrigar os trabalhadores da Usina Nuclear de Chernobyl, localizada a apenas 18 quilômetros dali, e contava com uma população de 50 mil habitantes. No mesmo ano, um acidente na usina provocou um vazamento radioativo que até hoje é considerado o maior da história. Para evitar a contaminação por radioatividade, as autoridades soviéticas promoveram a migração dos habitantes da região para outros locais.

4. Kayakoy (Turquia)

As 5 cidades fantasmas mais incríveis do mundo
A cidade de Kayakoy,  passou a sofrer com um processo de emigração cada vez maior, até se tornar uma cidade-fantasma, um museu a céu aberto da região de Anatólia. A explicação é: há décadas atrás, Grécia e Turquia entraram em um conflito bastante violento, motivados pela partilha do Império Otomano, desfeito ao fim da Primeira Guerra Mundial. Apenas em 1923, já fragilizados financeiramente, os dois países decidiram assinar um acordo de paz. Do armistício, um curioso item tornou-se famoso, o da troca de população baseada em critérios religiosos. Dessa forma, ocorreu o “intercâmbio” entre os ortodoxos que viviam na Turquia e os muçulmanos que moravam na Grécia.

5. Humberstone (Chile)

As 5 cidades fantasmas mais incríveis do mundo
A fundação de Humberstone aconteceu por causa de razões econômicas. No ano de 1862, a cidade chilena tornou-se centro de mineração de nitrato de potássio, atraindo milhares de trabalhadores. A prosperidade durou até 1929, quando a queda do interesse pelo minério, juntamente com a depressão econômica, causou o abandono do lugar. Atualmente, esta cidade-fantasma é considerada patrimônio da humanidade pela Unesco e é considerada mal-assombrada pelos moradores das cidades vizinhas.

Fonte: Ultracurioso

20 de fev de 2017

Como era ir no dentista antigamente

Você tem ou conhece alguém que tenha ‘odontofobia’? Pois ela é mais comum do que você pensa. A odontofobia é o medo extremo de dentistas e de tudo o que a ele se relaciona. Tem gente que prefere perder todos os dentes do que ter que enfrentar o famoso “motorzinho” do profissional dos dentes.
Se formos analisar bem, não há nada a temer no dentista. Pelo contrário. Além de manter nossa boa saúde bucal, o dentista se utiliza de avançadas ferramentas e eficazes tipos de anestesia, para causar o mínimo de dor e desconforto no paciente. Entretanto, nem sempre foi assim.

Aproveitando a visita, não deixe de conferir também 7 COISAS QUE SÓ OS RICOS PODERIAM TER ANTIGAMENTE.

Como era ir no dentista antigamente

Antigamente, os dentistas usavam ferramentas (versões antigas das atuais) que só pela aparência já faziam o paciente se morder de medo e dor! fizemos uma lista com 7 fotos arrepiantes  que te mostram como era ir ao dentista antigamente, e que poderiam justificar a odontofobia naquela época.

1. Fórceps dentário

Como era ir no dentista antigamente
Muito usado no século XVII (no início de 1600), o fórceps dentário era usado para arrancar dentes. Porém, não era usado de forma lá muito sutil.

2. Pelicano dental

Como era ir no dentista antigamente
O pelicano dental era muito usado em 1400. O dente era firmado entre essa garra pontiaguda e a outra garra que é pontuda e em seguida… bem você já pode imaginar!

3. Broca de relojoeiro

Como era ir no dentista antigamente
Esse tipo de broca era usado em meados de 1875, e servia para perfurar o dente de uma forma nada indolor.

4. Fórceps dentário de parafuso

Como era ir no dentista antigamente
Nesta ferramenta usada em 1848, duas lâminas comprimidas na boca permitiam o parafuso atingir a raiz de forma mais eficaz.

5. Espéculo oral

Como era ir no dentista antigamente
Esta ferramenta usada em 1600 na verdade foi projetada para manter a boca de um paciente particularmente bastante aberta. Quanto mais você girava o punho, mais a boca abria.

6. Chave dental

Como era ir no dentista antigamente
Antes do fórceps, este era o principal método para a extração de dentes no começo do século XX.

7. Mordaça dentária

Como era ir no dentista antigamente
Semelhante ao espéculo, esta ferramenta foi projetada especificamente para manter abertas as bocas de pessoas atingidas pela mandíbula de bloqueio.

Fonte: Ultra Curioso

19 de fev de 2017

A casa do Bob Esponja na vida real

Pois bem, acontece que algumas pessoas realmente levam os seus sonhos de criança a sério, e é por isso, que existem por exemplo, casas que foram completamente inspiradas nesse universo tão surpreendente que é o mundo dos desenhos infantis.

Confira abaixo como é a casa de um fã que se inspirou totalmente no Desenho Bob Esponja

Aproveitando a visita, não deixe de conferir também A CASA MAIS ASSUSTADORA DO MUNDO.



A casa do Bob Esponja na vida real A casa do Bob Esponja na vida real
A casa do Bob Esponja na vida real A casa do Bob Esponja na vida real


18 de fev de 2017

Maneiras de viajar pelo mundo quase de graça

Viajar é uma experiência maravilhosa. Seja para conhecer lugares novos, ou vivenciar novas experiências, é difícil encontrar alguém que não goste – especialmente quando é para o exterior. Quem nunca quis fazer um intercâmbio? O problema, claro, sempre é o custo. Não é barato viajar, e muito menos se manter no país dos seus sonhos. Felizmente, intercâmbios caros não são a única opção para quem quer viver fora – muito pelo contrário.
A internet está cheia de oportunidades, e isto incluí algumas opções BEM mais baratas de viajar para o exterior, em diferentes situações – algumas que você nem imagina de tão simples. Veja algumas destas oportunidades que estão ao alcance de um clique e não perca mais tempo. Se você está cansado de sua rotina, a sua solução pode estar bem aí abaixo.

Aproveitando a visita, não deixe de conferir também OS PIORES AEROPORTOS DO BRASIL.

Maneiras de viajar pelo mundo quase de graça
Sites como o Global Work & Travel, o Work Travel Company e o Alliances Abroa possibilitam aos interessados procurar por uma oportunidade de trabalho no país desejado antes de partir para lá. Se você deseja tirar umas férias fora, mas não sabe como se manter no exterior, um destes sites certamente pode te ajudar. Eles oferecem serviços bastante variados, como guia turístico, barman e garçons. Vale tudo para pagar suas contas!
Outro site é o Work Away, que oferece um alojamento gratuito em troca de trabalho voluntário. Há, ainda, o Escape Normal Jobs, que oferece dezenas de possibilidades de trabalhos sazonais nada convencionais. Desde guia turístico na Malásia até retiro exótico na Costa Rica, o usuário certamente encontrará algo que lhe convenha. Muitos dos empregadores incluem em seus contratos alimentação e acomodação, então realmente vale a pena. Isso sem falar na quebra de rotina.
Também é possível ensinar inglês no Exterior. Para isto, é preciso ter domínio da língua e, se possível, um certificado TOEFL. Pode não parecer, mas este é um trabalho bastante remunerado e que tem muita demanda, em especial em países onde não se fala inglês. Os contratos podem variar até 6 meses; tempo mais que suficiente para aprender a cultura de um país.
Maneiras de viajar pelo mundo quase de graça
Outra opção é tomar conta de casas de família que estão desocupadas. Isto mesmo: hospedagem de graça! Basicamente, o serviço consiste em cuidar de uma residência enquanto a família que a mantem está de férias. Pode durar de 2 semanas a 6 meses. O serviço é chamado House Sitting, e existem alguns sites que vale a pena conferir: House Careers, Mind My House e The Caretaker Gazette.
Ainda é possível se hospedar com uma família mesmo. Neste caso, o site indicado é o Couchsurfing. Se você entende inglês, já pode imaginar como funciona esta experiência inteiramente gratuita só pelo nome do site. Neste programa, você vai receber um colchão inflável, um sofá ou, se tiver sorte, uma cama na casa de alguém já cadastrado no serviço. Esta é uma excelente maneira de viajar e ainda conhecer uma galera bem interessante de bônus. Isso sem falar na hospedagem gratuita.
Maneiras de viajar pelo mundo quase de graça
Os interessados em morar no exterior também podem ficar de olho nas oportunidades de Au Pair. O programa consiste em um intercâmbio cultural que permite a jovens do mundo inteiro viver em um país estrangeiro em troca de um trabalho de babá. O programa é bastante popular e basta uma rápida pesquisada na internet para encontrar centenas de depoimentos favoráveis de quem já viveu esta experiência. Neste caso, existem agências que fazem todo o processo para você mediante um pagamento. Você se inscreve, envia sua candidatura (geralmente, um vídeo) e aguarda por um contato dos gringos.

Fonte: Ultra Curioso